O nascer do sol

4 março 2013, Comentários 0

Digital StillCameraNuma viagem de carro ontem saí cedinho, antes do amanhecer, logo então começamos a ver o sol nascer e, a cada curva atrás das montanhas estava o sol nascendo, por muitas vezes parecia o começo do dia, foi lindo. É lindo na verdade,  cada vez que o sol se apresenta. Fiquei surpresa de sentir, ver que mesmo nos dias que estamos para baixo o sol está nascendo, as flores estão nas encostas as rochas estão lá, paradas, prontas para exibir a beleza da eternidade delas.

Mas eu não vejo isso todos os dias, porque tem vezes simplesmente que o ser humano é inerte o suficiente para gostar de estar se enrolando, achar que tem coisas mais importantes para fazer, ao invés de contemplar, sentir a presença própria e a do universo diante dos olhos.

Que seja o amanhecer, ou ver o céu estrelado, ou assistir a chuva grossa encharcar a grama e brilhar sob a luz das lâmpadas da casa. Pensamos que vivemos independente da natureza que nos criou e enxergamos problemas a serem resolvidos todo o tempo ao invés de olharmos a maravilha que já temos que é o nosso próprio corpo, a nossa própria vida.

O nascer do sol todos os dias nos prova que se tropeçamos e doeu, no dia seguinte a beleza e calor estará lá, se levamos uma bofetada, o sol nascerá, se ficamos na festa até o amanhecer, ele não amanhecerá cansado, se ficarmos chorando a morte da bezerra o próximo dia nos dará a oportunidade de ver de novo, o novo.

Hoje é o dia que quero reaprender a olhar, sentir e me extasiar com o nascer do sol, a pedra, a planta, os olhos lindos dos namorados que se apreciam, o sorriso dos avós assistindo as peripécias dos netos. Agora é o momento de inspirar profundamente para ter a chance de sentir o aroma do bolo e das flores. Nesse momento ao ficar com os olhos abertos posso ver o que é belo, como o nascer do sol.

 

 

 

Regiana Miranda

Professora de artes e trabalhos manuais e co-fundadora do Liceu Rudolf Steiner de educação para a autonomia de crianças, adolescentes, adultos e idosos. Regiana acredita no amor como fonte transformadora da vida e inspira pessoas a se tornarem mais conscientes do seu próprio amor para viverem mais felizes e de forma mais autêntica.