Aqui e Agora!

7 setembro 2014, Comentários 0

 hans_silvesterA vida vai ser curta demais. Não conheceremos pessoas o suficiente. Teremos poucas experiências amorosas, pouquíssimas experiências profissionais. Viajaremos tão pouco! Teremos a oportunidade de ouvir falar de cura, de retidão, de ‘acertar no final’,  mas a vida vem em turbilhão e nos tonteia, nos surpreende e depois nos colhe com o último suspiro!

Não há o que fazer senão aproveitar furiosamente cada momento, cada pessoa, cada lugar. Vire o cálice, não vai te aproveitar lambiscar somente uma pontinha. Você não vai conseguir guardar as memórias do que só viu na televisão. Você não vai saber como é plantar um trigal ou colhê-lo. Você não vai saber como é tomar banho de rio. Você não vai saber como é pular de paraquedas, andar a cavalo. Por mais que se esforce, você não vai estar em todos os lugares e conhecer todas as pessoas. Isso é impossível!

Você queria estar caçando um búfalo? Ganhar uma fortuna? Morar em uma cidade de primeira qualidade e aí você olha em volta e você está aí! E você julga que o lugar em que você se acha é pior do que o deste ou daquele sujeito que você vê na televisão! Ou ainda, você acha que nasceu na época errada. Não nasceu!

Por mais emocionante que tenha sido ser a rainha do Egito ou ser hoje um camponês no Butão, já tem alguém ocupando esta vaga! E este alguém tem a enorme responsabilidade de ser plenamente o que é e aproveitar ao máximo tudo o que puder.

Você, também! Se dê a chance de ser você mesmo até as últimas consequências. Viva completamente e não se poupe em nenhum minuto. Viva longamente, dezenas de anos! Não tenha medo da velhice, da doença, de não ser o principal em uma cena. Viva estando completo, conhecendo com todas as suas possibilidades tudo aquilo que possa conhecer.

Ninguém mais vai estar lá, no seu lugar. Você vai ter este seu único ponto de vista e estará plantado no meio do mundo. Só você pode estar com esta pessoa que está ao seu lado justamente agora!

É maravilhoso morar naquela outra casa, ter aqueles outros filhos, viver dentro de outra pele, com outra consciência. Não dá para não se admirar. Mas esse seu olhar, nunca ninguém mais vai ter. Este modo de se portar é somente seu.

Celebre ter nascido você e estar aí justo agora. Não desperdice nada. Não se desperdice, por curta que seja a vida! Por pouco que te pareça. A sua vida é única e, para todos nós, ela significa muito.

Deriana Miranda

Professora há 27 anos, 13 como professora Waldorf, Deriana Miranda é licenciada em Educação Artística Artes Plásticas - FAP, Licenciada e Bacharel em Letras Português/Inglês – UFPR e Especialista em Meio Ambiente, Educação e Desenvolvimento – UFPR. Cursou o Seminário de Pedagogia Waldorf - FEWB, frequentou o Curso Livre de Ciências Naturais e Humanas: Pesquisa e desenvolvimento da Epistemologia e Prática da Pedagogia Waldorf – FEWB, e é co-fundadora do Liceu Rudolf Steiner – empreendimento social fundamentado na Pedagogia Waldorf e do Jardim Limão Rosa, uma iniciativa Waldorf, no qual é atualmente professora.